Exame 12 de setembro de 2023

Segurança digital para iniciantes: um guia completo

Aprenda a se manter seguro ao navegar na internet com dicas básicas de especialistas da área.

Segurança digital para iniciantes: um guia completo

A internet chegou para transformar completamente os processos de empresas e o dia a dia de pessoas. Hoje, muitos passam a maior parte do dia em um ambiente digital. No entanto, isso também chama a atenção de criminosos que podem ter o interesse em roubar seus dados, dinheiro e outros pertences nesta nova era digital.

Por isso, é muito importante entender o que é segurança digital e como proteger suas informações online, mantendo-se sempre de olho nos mais novos golpes de hackers e suas táticas.

O que é segurança digital?

A segurança digital é o conjunto de práticas e ferramentas para proteger sistemas, dispositivos, redes e programas contra ataques virtuais. Para além dos muito conhecidos “vírus”, os ataques virtuais se modernizaram e podem acessar dados e informações pessoais com objetivos diversos, entre eles o roubo e a extorsão.

Para isso, os hackers ou grupos de hackers utilizam programas maliciosos e estratégias fraudulentas que visam violar a integridade, a confidencialidade e a disponibilidade de dados e sistemas. Entre os principais crimes cibernéticos atualmente estão o phishing e o ransomware.

Neste tipo de golpe, hackers criam links falsos de sites e convencem o usuário a clicar e inserir seus dados pessoais, acreditando estar em um site conhecido e seguro. Depois, o golpe pode evoluir para o ransomware, quando os hackers fazem o “sequestro” de dados importantes, principalmente de empresas, e pedem uma grande quantia em dinheiro para liberá-los.

Com cada vez mais dispositivos, a tecnologia é apenas uma das camadas da segurança digital. Além dela, é preciso estabelecer procedimentos e alertar a população para as melhores práticas de segurança. Isso porque apesar da existência de programas antivírus, por exemplo, os hackers utilizam estratégias cada vez mais criativas para convencer um usuário a clicar em um link malicioso ou baixar um programa de malware, por exemplo.

Dicas básicas para proteger suas informações online

De acordo com o “Informe NICE de perspectivas de fraude 2023”, em 2022, as transações fraudulentas alcançaram um volume de US$ 110 bilhões, representando um aumento de 92% em relação a 2021. Por sua vez, o relatório da Chainalysis, com foco em analisar o impacto da situação nas criptomoedas, aponta que no ano passado as atividades ilícitas alcançaram 20 bilhões de dólares, sendo os golpes com cripto totalizando 5,9 bilhões de dólares.

Denis Riviello, head de cibersegurança da Compugraf, apontou os 5 tipos de crime cibernético mais comuns e como se proteger deles:

• Phishing: verificar o endereço de e-mails recebidos, inspecionar links da mensagem e não abrir anexos de desconhecidos, apagar o e-mail caso não tenha certeza da autenticidade;

• Ransomware: manter o sistema operacional e o antivírus sempre atualizados;

• Fraude de identidade: utilizar autenticação de dois fatores e entrar em contato por telefone ou vídeo para certificar a identidade da pessoa antes de realizar qualquer transferência;

• Ciberextorsão: evitar o envio de informações ou dados privados para pessoas não confiáveis e acionar as autoridades no caso de qualquer tentativa de extorsão;

• Sites de vendas falsos: conferir o domínio e a URL do site, pesquisar pela reputação e histórico, buscar por selos de segurança e se o site opera com um protocolo seguro (HTTPS), consultar a privacidade deste site e confirmar as informações de contato antes de realizar compras.

Além da proteção na camada tecnológica da segurança digital, é preciso estar atento para não cair em golpes a partir das “iscas” propostas pelos hackers. Confira as dicas de Matías Di Gioia, Diretor de Prevenção de Fraude da Bitso, para os principais tipos de golpes online:

• Golpes românticos: os golpistas fingem ter interesse em começar um relacionamento amoroso com a vítima para depois convencê-la a enviar dinheiro. Lembre-se de manter o ceticismo em relação a qualquer pedido inesperado de dinheiro, transações com cripto ou informação pessoal.

• Golpes de roubo de identidade: o golpista se passa por uma pessoa em posição de autoridade. Ele engana as vítimas para que elas enviem dinheiro com o pretexto de solucionar problemas ou evitar consequências negativas. Verifique a identidade da pessoa ou entidade com as quais está interagindo. Caso não seja uma conta legítima, corte a comunicação, bloqueie e reporte.

• Golpes de investimento: são golpes nos quais se promovem falsas empresas de investimento que prometem altos rendimentos financeiros. Utilize sites ou plataformas verificadas e reguladas.

• Golpes de prêmios: são formas de fraude nas quais as vítimas são solicitadas a enviar dinheiro sob a promessa de receber uma recompensa ainda maior. Os golpistas costumam se passar por celebridades para aumentar a credibilidade de sua oferta. Evite resgatar quaisquer códigos recebidos e não faça depósitos em sites não verificados.

 

Compugraf

Especialista em segurança de dados e certificada por parceiros reconhecidos mundialmente, a Compugraf está pronta para proteger sua empresa na era digital.

O que procura?