17 de fevereiro de 2022

Pesquisa da Check Point Research aponta para um aumento de 50% em ataques cibernéticos por semana nas redes corporativas, em comparação com 2020

A Check Point, empresa de segurança cibernética e parceira da Compugraf, divulgou novos dados de cibersegurança de 2021 que mostram que, entre seus clientes, houve um aumento significativo nos ataques cibernéticos semanais em redes corporativas, em comparação com 2020.

Os pesquisadores associaram algumas curvas de crescimento que surgiram no final do ano à vulnerabilidade Log4j, descoberta em dezembro de 2021. No relatório, a Check Point afirma que “2021 foi um ano recorde para ataques cibernéticos” e que a vulnerabilidade do Log4J “só piorou ainda mais as coisas”.

“No ano passado, vimos 50% mais ataques cibernéticos por semana em redes corporativas em comparação com 2020 – um aumento preocupante para as empresas. Vimos, também, o número de ataques cibernéticos atingir um pico no final do ano, em grande parte devido às tentativas de exploração da vulnerabilidade Log4j” disse Omer Dembinsky, gerente de pesquisa de dados da Check Point Software.

Ele acrescenta que “novas técnicas de infiltração e novos métodos de evasão tornaram muito mais fácil para os hackers executarem seus ataques. Mas o mais alarmante é que estamos vendo alguns setores sociais cruciais surgirem na lista dos setores mais afetados pelos ataques cibernéticos”.

As 5 indústrias mais atacadas em todo o mundo

A Check Point descobriu que, em 2021, ataques semanais de qualquer tipo a redes corporativas aumentou em 50%, comparado com o ano de 2020, e, no quarto trimestre, eles tiveram um recorde histórico de ataques cibernéticos semanais por organização, somando 925 ataques por semana.

Empresas da área de Educação e Pesquisa lidaram com uma média de 1.605 ataques por semana às suas redes, o maior volume de ataques já visto pelo setor. Isso representa um aumento de 75% no número de ataques em relação a 2020.

Os setores governamental, de defesa, militar e de comunicações não ficaram muito atrás, com uma média de cerca de 1.100 ataques semanais por organização.

Quando os pesquisadores dividiram os dados desses ataques por região, descobriram que as organizações no continente africano tiveram o maior volume de ataques em 2021, com uma média de 1.582 ataques semanais por organização.

Organizações na região da Ásia-Pacífico (China, Nova Zelândia, Austrália, sudeste asiático, etc.), tiveram uma média de 1.353 ataques semanais por organização, enquanto a América Latina lidou com 1.118 ataques semanais e a Europa enfrentou 670 ataques semanais. A América do Norte foi a menos atingida, com uma média semanal de 503 ataques.

A Check Point baseia seus números em sua ferramenta interna, a ThreatCloud, que extrai dados de centenas de milhões de sensores de ataque ao redor do mundo.

E, infelizmente, é esperado que o número de ataques aumente em 2022, já que os hackers continuam inovando e encontrando novas formas de executar seus ataques, como tem acontecido recentemente com o caso do crescimento irrefreável do ransomware.

“Estamos enfrentando uma pandemia cibernética. Incentivamos fortemente o público, especialmente aqueles nos setores de educação, governo e saúde, a aprender o básico sobre como se proteger”, disse a Check Point. “Medidas simples, como aplicar patches contra vulnerabilidades, segmentar suas redes e educar os funcionários, podem ajudar a tornar o mundo – e sua empresa – mais seguro.”

Proteja-se das ameaças de 2022. Conheça as soluções de segurança da Compugraf e saiba como podemos te ajudar!

Assuntos:

Compugraf

Especialista em segurança de dados e certificada por parceiros reconhecidos mundialmente, a Compugraf está pronta para proteger sua empresa na era digital.

O que procura?