Maria Luiza de Araújo Cardoso 02 de abril de 2024

5 pilares de uma segurança na nuvem robusta 

Nos últimos anos, a computação em nuvem revolucionou a maneira como as empresas gerenciam e fornecem serviços digitais. A capacidade de acessar dados e aplicativos de qualquer lugar do mundo, juntamente com a escalabilidade e flexibilidade oferecidas pela nuvem, tem impulsionado a adoção em larga escala dessa tecnologia. No entanto, junto aos benefícios da computação em nuvem, surge a necessidade crucial de garantir a segurança dos dados e das aplicações hospedadas nesse ambiente. É aqui que entra em cena o Cloud Security, ou segurança na nuvem, desempenhando um papel vital na proteção desses ativos digitais. 

Neste artigo, entenda as principais razões pelas quais o Cloud Security é tão importante e conheça seus pilares fundamentais.  

O que é Cloud Security, afinal? 

Cloud Security refere-se a um conjunto de práticas, políticas, tecnologias e controles de segurança projetados para proteger os dados, aplicativos e infraestrutura de nuvem contra ameaças cibernéticas. Essas ameaças podem incluir ataques de hackers, vazamentos de dados, malware, entre outros riscos de segurança.

A importância do Cloud Security na proteção das aplicações em nuvem 

Proteger dados sensíveis 

As empresas armazenam uma quantidade cada vez maior de dados sensíveis na nuvem, incluindo informações financeiras, propriedade intelectual e dados do cliente. O Cloud Security ajuda a garantir que esses dados estejam protegidos contra acesso não autorizado e vazamentos. 

Conformidade regulatória 

Muitos setores, como financeiro, saúde e governamental, estão sujeitos a regulamentações rigorosas relacionadas à segurança e privacidade dos dados. O Cloud Security desempenha um papel fundamental na garantia de conformidade com essas regulamentações, ajudando a evitar multas e outras penalidades.

Continuidade do negócio

Interrupções nos serviços em nuvem podem ter impactos significativos nos negócios, levando a perdas financeiras e danos à reputação irreparáveis. As medidas de segurança na nuvem, como a redundância de dados e os planos de recuperação de desastres, garantem a disponibilidade contínua dos serviços, mesmo em caso de incidentes de segurança. 

Proteger contra ameaças emergentes 

Com o cenário de ameaças cibernéticas em constante evolução, é essencial que as estratégias de segurança na nuvem sejam adaptáveis e capazes de enfrentar novas ameaças à medida que surgem. O Cloud Security incorpora práticas atualizadas para proteger contra as mais recentes táticas de ataque. 

5 pilares de uma segurança na nuvem eficaz 

Embora provedores de nuvem como Amazon Web Services (AWS), Microsoft Azure e Google Cloud Platform (GCP) ofereçam muitos recursos e serviços de segurança nativos da nuvem, soluções complementares são essenciais para alcançar segurança de nível empresarial. 

Apenas uma pilha de segurança integrada nativa na nuvem de terceiros fornece a visibilidade centralizada e o controle granular.  

Sem mais delongas, uma segurança robusta na nuvem depende de uma combinação de diferentes elementos. Aqui estão alguns pilares fundamentais

1. Controles granulares de autenticação

Conceda apenas privilégios mínimos de acesso a ativos e APIs que sejam essenciais para que um grupo ou função execute suas tarefas. Quanto mais extensos os privilégios, maiores serão os níveis de autenticação. E não negligencie a boa higiene do IAM, aplicando políticas de senhas fortes, intervalos de permissão, e assim por diante. 

2. Aplicação de políticas e processos de proteção de servidores virtuais

Os fornecedores de segurança na nuvem fornecem soluções robustas, aplicando consistentemente regras e modelos de governança e conformidade ao provisionar servidores virtuais, auditando desvios de configuração e corrigindo automaticamente sempre que possível. 

3. Proteção de dados aprimorada

Procure por proteção de dados aprimorada com criptografia em todas as camadas de transporte, compartilhamentos e comunicações seguras de arquivos, gerenciamento contínuo de riscos de conformidade e manutenção de boa higiene dos recursos de armazenamento de dados, como detecção de buckets mal configurados e encerramento de recursos órfãos.

4. Inteligênciapara detectar e corrigir ameaças conhecidas e desconhecidas em tempo real

Fornecedores de Cloud Security adicionam contexto aos grandes e diversos fluxos de logs nativos da nuvem, cruzando de forma inteligente dados de log agregados com dados internos, como sistemas de gerenciamento de ativos e configuração, scanners de vulnerabilidade etc. 

Também fornecem ferramentas que ajudam a visualizar e consultar o cenário de ameaças e promover tempos de resposta a incidentes mais rápidos. Algoritmos de detecção de anomalias baseados em IA são aplicados para detectar ameaças desconhecidas, que depois passam por análise forense para determinar seu perfil de risco.  

Alertas em tempo real sobre invasões e violações de políticas reduzem o tempo de correção, às vezes até acionando fluxos de trabalho de correção automática.

5. Zero Trust e motivos para adotar um dos pilares mais importantes de uma segurança na nuvem robusta

O termo Zero Trust foi introduzido pela primeira vez em 2010 por John Kindervag que, na época, era Analista Sênior da Forrester Research. O princípio básico da Confiança Zero na segurança na nuvem é não confiar automaticamente em ninguém ou em nada dentro ou fora da rede – e verificar (ou seja, autorizar, inspecionar e proteger) tudo. 

Zero Trust, na prática, promove uma estratégia de privilégios mínimos, em que os utilizadores só têm acesso aos recursos de que necessitam para desempenhar as suas funções. Da mesma forma, ele pede aos desenvolvedores que garantam que os aplicativos voltados para a Web estejam devidamente protegidos.  

Além disso, as redes Zero Trust utilizam microssegmentação para tornar a segurança da rede em nuvem muito mais granular. Isso cria zonas seguras no centro de dados e na implantação da nuvem, segmentando assim as cargas de trabalho umas das outras, protegendo tudo dentro da zona e aplicando políticas para proteger o tráfego entre zonas. 

____ 

À medida que as empresas adotam a computação em nuvem para impulsionar a inovação e a eficiência operacional, a segurança na nuvem se torna uma prioridade ainda maior.  

O Cloud Security não é apenas uma consideração técnica, mas também uma necessidade estratégica para proteger os ativos digitais e manter a confiança dos clientes. Ao implementar as melhores práticas de Cloud Security e permanecer vigilante contra as ameaças emergentes, as organizações podem aproveitar os benefícios da nuvem com confiança e tranquilidade. 

Se este artigo foi útil para você, inscreva-se na nossa newsletter para receber em primeira mão conteúdos exclusivos sobre cibersegurança. 

Acesse também nossas redes sociais: Linkedin, Instagram, YouTube e Tiktok. 

Compugraf

Especialista em segurança de dados e certificada por parceiros reconhecidos mundialmente, a Compugraf está pronta para proteger sua empresa na era digital.

O que procura?